21 de jul de 2012

Capítulo 7

                                             Dedicado a Iza - @4everUmalovatic 
              
                                                         Demi On
                                                                                                           
Demi  fez uma careta quando sentiu a relutância de seu corpo ao voltar a usar as roupas pesadas e desconfortáveis, que tinham sido lavadas e devolvidas por Maria, depois da liberdade de vestir roupas mais leves por dois dias inteiros.

Os únicos ocupantes do castelo eram o velho príncipe, Joe e os empregados... portanto, seria seguro continuar usando suas roupas novas. Brincando com Daniel na parte sombreada do jardim, sentira-se tão segura que tirara até mesmo seu casaco leve.

As palavras da esposa de Zac lhe deram a certeza de que podia confiar em Joe e, consequentemente, a deixaram confiante.

Vanessa prometera que a levaria para um passeio pelo castelo e pelas circunvizinhanças, para mostrar-lhe alguma coisa da ilha. Tinha dito também o quanto estava encantada porque Josh, seu sobrinho, agora filho adotivo dela e de Zac , teria outra criança para brincar.

— Será adorável ter outra mulher para conversar, com quem tenho tanto em comum — dissera-lhe Vanessa.

Demi  esperava que elas se tornassem amigas. Ter amigas sempre fora muito difícil para ela, mesmo na universidade, pois ainda vivia em casa e sua mãe era ansiosa demais com a possibilidade de "companhias erradas".

Foi somente depois das mortes chocantes e acidentais de sua mãe e de seu padrasto, num acidente de ônibus, enquanto estavam num safári, que Demi  finalmente mudou-se da casa, ajudada por um dos catedráticos da universidade, a fim de obter um emprego na Biblioteca Britânica em Londres. Ela tivera sorte de conseguir alugar um quarto na casa que pertencia a uma viúva... mas que, é claro, não era tão divertido como compartilhar um apartamento com outras jovens.

Foi então que Liam tinha ficado preocupado com ela, lembrando que a mãe de Demi  lhe deixara a casa para que ele se responsabilizasse pelo bem-estar dela. Ele não foi capaz de impedi-la de se mudar para Londres, mas a fez saber que tal decisão o preocupava muito.

Tinha sido um choque para Demi  voltar do trabalho para casa um dia e encontrá-lo sentado na sala de estar da senhoria, bebendo chá com ela, tendo, como lhe contou, explicado à sra. Slater que a mãe de Demi  o fizera prometer que sempre cuidaria dela.

— Demi  tem uma tendência a se envolver com pessoas erradas — Liam comentou. — Rapazes que não são o tipo com os quais uma mãe espera ver a filha unida.

Demi  ficou ruborizada, lembrando da humilhação e da sensação de indefesa, enquanto permanecia sentada ouvindo, incapaz de dizer qualquer coisa.

Dando de ombros, começou a pegar as roupas velhas.

Sua mala havia sido encontrada. Tinha sido colocada num quarto de despejo, sem dúvida, por causa de sua aparência rota, ela desconfiou.

Contudo, tendo recuperado todas as roupas, Demi  descobriu, com muita culpa, que não tinha vontade alguma de usá-las. Elas a faziam recordar-se de Liam . Escolhera-as por causa dele.

Os quentes raios de sol batiam no assoalho envernizado e no tapete antigo. Quando se moveu, o sol cobriu seu braço. Vanessa possuía um adorável tom de pele, bronzeado. Tanto a pele quanto os olhos pareciam brilhar pela boa saúde e de felicidade.

Sua própria pele parecia pálida e doentia em comparação.

Vanessa era, obviamente, feliz e apaixonada, uma felicidade que era quase transparente. Confidenciara a Demi  que ela e Zac  agora estavam esperando o próprio filho.

— Nosso segundo filho — disse Vanessa, revelando sua euforia, enquanto abraçava o sobrinho de modo amoroso.

Quanto a Demi , tudo que mais queria era que Dan crescesse com liberdade, sabendo que era amado. Queria que ele tivesse segurança e fosse uma criança alegre.

Mudando o curso dos pensamentos, ela vestiu-se rapidamente com um outro de seus trajes novos... um belo vestido de verão, com um discreto decote, em tecido de algodão florido que chegava até os joelhos

                                                                       
                                                           

Demi  olhou para o casaquinho que pusera sobre a cama para proteger os braços, e, então, de modo decidido, colocou-o de volta na gaveta.

Daniel já tinha sido apresentado ao avô... o qual, Demi  sentira imediatamente, não estava nem um pouco interessado nela.

Ela também não se incomodara, especialmente quando ele chorou com emoção sobre o bebê, referindo-se a ele como o filho de seu próprio filho bem-amado. Demi  não foi capaz de parar de olhar para Joe quando o velho príncipe falou de sua preferência por Nick, mas, pela expressão melancólica de Joe, era impossível não imaginar o que ele estava pensando ou sentindo.

Ela acabara de chegar ao corredor, com Dan, quando Joe saiu de um dos salões formais de recepção, dizendo :

—Ah... bom, eu estava prestes a perguntar a Maria se sabia onde você estava. Pode me dar alguns minutos?

— Claro. — Demi  sorriu. Sentia-se mais relaxada com ele agora que Vanessa lhe assegurara que podia confiar em Joe, mas não relaxada o suficiente para não tremer quando ele pegou-lhe o cotovelo a fim de levá-la ao terraço.

Era a primeira vez que Demi  reagia com intensidade denunciadora a seu toque e proximidade, e podia senti-lo olhando para ela... embora, parra seu alívio, Joe não dissesse nada.
Estava formalmente vestido, num impecável terno de tecido leve e uma camisa também perfeita. Roupas que, de algum modo, enfatizavam sua masculinidade, fazendo os músculos do estômago de Demi  contraírem-se em sua consciência feminina. Precisava fugir daquelas sensações estranhas. Aquilo significava apenas que sabia que Joe era um homem muito másculo e sexualmente poderoso. Tinha de reconhecer aquele fato, afinal de contas.

Quando eles se sentaram, uma das empregadas levou-lhes café, e Dan estava distraído, tentando enrolar-se no cobertor.

— Uma vez que o castelo é agora sua casa e de Daniel — começou Joe —, precisamos discutir sobre uma acomodação mais confortável e adequada do que os dois quartos que você está ocupando no momento.

— Nossos quartos são excelentes — assegurou-lhe Demi , mas Joe meneou a cabeça.

— Não. Tenho meu próprio apartamento no castelo, meu pai tem os aposentos dele, e é importante que você também tenha algum lugar que seja só seu... onde possa fazer um lar apropriado para ambos. Além disso, algum dia irá querer entreter amigos aqui em privacidade. É muito jovem, e é natural que um dia encontre um homem...

Demi  estava tão agitada que teria se levantado e fugido se não fosse pelo fato que não podia deixar Daniel.

— Não quero conhecer homem algum. Jamais...

— O que meu meio-irmão fez é imperdoável, mas você não pode deixar o comportamento dele privá-la do direito de aproveitar sua feminilidade. Se deixar, estará lhe dando uma vitória. E, além do mais, precisa pensar em Dan . Não quero fazer preleções, mas vi os efeitos que o fato de nossa mãe tornar-se vítima do marido causaram no desenvolvimento emocional dos filhos. Pretendo proporcionar a Daniel uma boa influência masculina, mas isso não pode substituir o que ele aprenderia vivendo com duas pessoas que se amam.

Os comentários sobre os deveres dela em relação a Dan a atingiram muito fortemente. Afinal de contas, sabia tudo sobre os estragos emocionais que podiam ser causados na infância.
Demi  recostou-se, cruzando as mãos sobre o colo a fim de que ele não visse o tremor nelas. Não podia olhá-lo, pois sabia que se fizesse isso não seria capaz de falar honestamente o que se sentia compelida a dizer.

— Eu... Não é somente pelo que Nicholas fez a mim que não quero conhecer ninguém.

Joe examinou a cabeça curvada de Demi . Não havia absolutamente nenhum engano na intensidade de sua reação.

De repente, conscientizou-se que tinha ido em direção a um campo minado e precisava caminhar com extremo cuidado.

Mentalmente, reviu tudo que sabia sobre ela, então, disse, da maneira mais casual possível:

— Parece-me que alguém provocou esse desgosto por homens. Talvez você não tenha gostado quando sua mãe se casou novamente... o que não é uma reação incomum. Você tinha 12 anos na ocasião, como me recordo. Uma idade difícil para todos nós. Se seu padrasto não foi bondoso e compreensível...

— Não. — Demi  sacudiu a cabeça ferozmente. — Não. Não foi essa a causa. De fato, tanto meu padrasto como Liam eram... eram ambos bondosos. Liam especialmente.

Liam. Liam, o meio-irmão de Demi . O homem que Joe não gostara quando conhecera, e que insistira tanto que Joe o informasse se conseguisse localizar Demi . Instintivamente, com plena certeza, Joe soube quem a prejudicara.

— É por causa de seu meio-irmão, não é?

— Não! — Agora Joe podia perceber o medo na voz de Demi , assim como a agitação exagerada, enquanto reforçava a negação veementemente: — Não! — Aquilo fez com que sua xícara de café caísse, ensopando a saia de seu vestido.

Joe reagiu imediatamente, perguntando:

— Você está bem? O café a queimou?

Demi  podia ver Joe indo na sua direção. Mais um minuto e ele a estaria tocando, e ela não podia suportar aquilo, agora.




    Oi Lindas , tudo bem , sinto muito , muito mesmo pela demora pra postar , juro não foi por querer , a minha igreja ta tendo projetos e com os meus pais separados , meu pai não vem mais para São Paulo me ver , eu que tenho que ir por Rio ver ele.
   O Post ta pequeno , mais como eu disse antes tenho que diminuir o tamanho se não a fic acaba muito rápido 
   Então não vou enrolar muito aqui por que tenho que dormir cedo , meu avião sai as 05:15 , eu mereço ¬¬ 
  Só vou responder os coments assim hoje por que estou sem tempo 

5 Comentários para o próximo 

Até Sexta 
xoxo :*


Resposta dos comentários : 


Cap 6 --- Aqui   
Aviso + Enquete --- Aqui 
                 
PS : Mudei a fonte do blog por que troquei de óculos e essa fonte com letra floral acaba com a minha visão , se alguém não gostar dessa me avise *-* 

7 comentários:

  1. Amei o capitulo e realmente não acredito que vc teve coragem de parar o capitulo aiii ISSO NÃO SE FAZ !
    AAAAAAA to loca para ver Jemi juntos logos!
    Eu odiei a ideia de diminuir o tamanho dos posts mas eles estão em um ótimo tamanho.
    To MUITO ansiosa para os próximos capítulos haahhaha POOOOOOOSTA LOOOOOGO !
    E VC DEDICOU O CAPITULO A MIM AAAAAAAAAA EU VIVO TE PENTELHANDO E VC AINDA DEDICA UM CAP A MIM AAAAA EU NÃO MEREÇO ! *O* AMEI AMEI O CAPITULO E MUUUUUUUUITO OBRIGADA SUA LINDA !
    Pooosta Looogo !
    Bjos <3

    ResponderExcluir
  2. Lindooooooo !

    Quero jemi !!

    Posta logooooo

    ResponderExcluir
  3. Ooooooi leitora nova!!! OMG amei o capitulo, ficou lindo. To louca pra ver Jemi justos. AAAAAAA to tão ansiosa pro próximo capitulo. Posta logo em kk. Parabéns amei seu blog

    ResponderExcluir
  4. DESCULPAAAAAAAAAAAAAAAAA não estar comentando, eu prometo que vou comentar sempre agora :(
    A fic é perfeita!
    Quero Jemi logooooooo, por favor :)
    Posta logo!!!

    Beijos.

    ps: o blog ta lindo *-*

    ResponderExcluir
  5. Poooooooooosta Maaaaaaaaaaaaaaaiaaaaaaais

    ResponderExcluir
  6. oiiii , estou adorando sua historia , posta logo menina

    um favorzinho ?

    segui:http://jemimegeradomada.blogspot.com.br

    e se vc gosta divulga

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Heey , leitora nova , eu estou simplesmente amando , posta logo please , estou mt ansiosa =D

    ResponderExcluir