26 de jun de 2012

Capítulo 3


                                               

                                                                Joe On

Joe não estava acostumado a sentimentos fortes por ninguém além dos membros imediatos de sua família. Nunca negara para si mesmo seu amor e senso de proteção pelos dois irmãos mais jovens, nem sua crença que, sendo o mais velho, na falta do amor do pai e da presença da mãe em suas vidas, era sua responsabilidade protegê-los e criá-los, mas nunca antes sentira aquela necessidade intensa de proteger emocionalmente qualquer outra pessoa.

Era por causa da criança, claro. Não poderia haver outro motivo para sua reação ilógica.

Tinham sido necessárias diversas horas de ligações telefônicas para detectá-la através da agência que a empregara... graças àquela recepcionista desprezível, que o impediu de segui-la no hotel.

Naquela manhã, Joe havia sentido pena de Demi . Agora estava motivado pelo seu dever ao nome de sua família a consertar a violência que Nicholas  cometera. E, é claro, assegurar que o filho de Nicholas  crescesse sabendo de sua herança Jonas . Levara tempo demais e muito dinheiro para rastreá-lo, mas agora que o localizara não havia dúvida que a criança era um Jonas . Ele soubera no minuto que o vira na creche. A herança do menino estava estampada em suas feições, e Joe vira pela expressão da mãe que ela sabia disso também.

Eles estavam do lado de fora agora, sem ninguém para ouvi-los.

                                                               Demi On 


— Quem é você? — perguntou Demi . — E o que quer?

— Sou Joseph Jonas , o mais velho dos meio-irmãos de Nicholas , do primeiro casamento de nosso pai.

Liam havia mencionado a família de Nicholas  para ela... ou melhor, tentado. Mas Demi  se recusara a ouvir. Nicholas  tinha, afinal de contas, se negado a reconhecer o próprio filho.

— Você é irmão de Nicholas ?

No tom de incredulidade dela, Joe detectou alguma coisa que parecia revolta.

Quase não podia culpá-la por isso. De fato, compartilhava sua revolta.

— Não — corrigiu ele inflexível. — Somos apenas meio-irmãos.

Como ela entendia aquela necessidade de diferenciar-se do suposto parente! Mas era ridículo permitir-se imaginar que tinha algo em comum com aquele homem que pudesse compartilhar a antipatia e a culpa que tanto fizera parte de seu sofrimento.

Mesmo agora, ainda podia ouvir sua mãe quase suplicando:

— Mas, querida, Liam está tentando ser seu amigo. Por que você não pode ser mais agradável?

Ela tentara arduamente explicar seus sentimentos à mãe, mas como se pode explicar algo que nem você mesma entende?

No final, aquilo levantou uma barreira entre eles... de um lado ficava Liam, o bom enteado, e do outro, ela, a filha má.

                                                              Joe On 

Onde ela tinha ido?, Joe imaginou, observando as sombras de dor que lhe escureciam os olhos. Para algum lugar no passado, reconheceu.

Todavia, ele estava ali para o presente e o futuro.

Ela devia ressentir-se de Nick, mas seu amor pelo filho era óbvio. Segundo seus informantes, Demi  era uma mãe exemplar, devota e amorosa, excetuando o fato que, por alguma razão, havia recusado a oferta do meio-irmão de um lar sob seu próprio teto. Liam Hemsworth não fora capaz de fornecer-lhe uma explicação lógica para aquela recusa, embora tivesse sugerido que existia alguma espécie de disputa entre os dois, a despeito de todas as suas tentativas de reparar o estrago.

— Ela sempre foi inclinada a ser muito emotiva e reagir de forma exagerada — Liam dissera a Joe. — Tudo que eu quis foi ajudá-la.

— Não houve amor entre nós três e Nick. — A voz de Joe, seu inglês perfeito e sem sotaque, trouxe Demi  de volta do passado. — Não vou esconder este fato de você... nem o fato que Nicholas era o filho favorito de nosso pai. Posso também assegurá-la que a escolha de estilo de vida de Nicholas  não era a nossa. Isso nunca foi perdoado por nós.

                                                          Demi On 

Demi  o olhou e depois desviou o olhar, seu coração batendo forte, como sempre acontecia toda vez que pensava na concepção de Daniel . Joseph Jonas estava, obviamente, tentando dizer-lhe que ele e seus irmãos não eram da mesma espécie do meio-irmão caçula, e que o conceito de moral deles era muito diferente do de Nicholas . Mas por quê?

                                                        Joe On 


Ele olhou para Dan por um longo momento, então continuou:

— Antes de morrer, Nicholas  disse ao nosso pai que havia um filho. Mas morreu antes que pudesse revelar mais detalhes. Era tão grande o amor que nosso pai sentia por Nick que ele exigiu que a criança fosse encontrada. Quando não se conseguiu localizar a criança, assumimos que a existência dela era outro exemplo do divertimento enganoso de Nick, que gostava de enganar a todos. — Joe fez uma pausa e pôde notar, pelo modo como ela apertava a alça do carrinho, o quanto estava tensa.

A crueldade do que Demi  sofrerá deixaria qualquer pessoa decente revoltada. O único aspecto que aliviava a situação era que ela, aparentemente, não recordava o ocorrido.
Não havia dúvida na mente de Joe que o estupro fora um ato deliberado de punição, com pretensão de humilhá-la... porque Nick não fora bem-sucedido ao tentar seduzi-la.

— Naturalmente, quando chegou ao meu conhecimento que poderia haver uma criança, eu precisava descobrir a verdade.

Ele havia parado de andar agora, forçando Demi  a fazer o mesmo.

— Como isso chegou ao seu conhecimento?

— Um amigo de Nick me contou sobre sua bebida ter sido alterada e sobre o que ele fez.

                                                 Demi On 

Demi  teve o desejo infantil de fechar os olhos, como se, de algum modo, tudo pudesse desaparecer magicamente.

Somente ouvi-lo dizer aquelas palavras era uma humilhação total e completa.

— Sei que você contatou Nick para lhe contar do nascimento do filho dele...

— Não — exclamou Demi , — eu não entrei em contato com ele. Jamais faria isso. Foi meu meio-irmão.

Eu não sabia de nada até que Liam me contou que Nick estava negando o ocorrido.

Joe franziu o cenho. Seria aquele o motivo da briga entre eles?

— Seu meio-irmão não mencionou nada sobre a recusa de Nick quando falei com ele. Estava mais preocupado com você e pediu-me para mantê-lo informado de qualquer progresso que eu tivesse na minha busca.

Demi  sentiu como se seu coração tivesse parado de bater. Voltou-se para ele, implorando-lhe:

— Você não disse a ele onde estou, disse?

Joe cerrou o cenho mais ainda.

— Ele falou que seu único desejo é ajudar e proteger você.

Ajudar e protegê-la, mas não a Daniel . Liam não queria nada com o bebê dela, e, se pudesse, Dan  seria tirado de sua vida para sempre.

Quanto tempo tinha antes que Liam a encontrasse e começasse sua guerra incansável para fazê-la entregar Dan para adoção novamente?

Todos sempre diziam como Demi  era sortuda em ter um meio-irmão tão devotado, mas não o conheciam..

— Ele não deve saber onde estamos?

No seu estado de pânico, revelara mais do que deveria, reconheceu Demi  enquanto via a maneira como Joe  a observava. Ele estava esperando que ela lhe desse uma razão lógica pela qual não queria que Liam os encontrasse.

— Liam acredita que seria melhor se Dan fosse adotado — ela declarou.

                                                                 Joe On 

Porque ele não havia sido capaz de fazer Nicholas pagar pelo que fez? Ou porque sentia que era a melhor opção para a criança?

Joe não precisava de muito tempo para considerar as duas opções. Liam lhe perguntara especificamente se Daniel receberia alguma herança de Nicholas ou de sua família.

— Mas você não concorda com ele? — perguntou Joe.

— Não. Eu jamais poderia desistir de Dan . Nada ou ninguém poderá me obrigar a fazer isso.

A paixão na expressão e na voz dela mudaram-na completamente, tornando-a, de repente, vivaz, revelando a verdadeira perfeição de sua delicada beleza.
Joe sentiu como se alguém houvesse golpeado seu peito, incapacitando-o de respirar devidamente.

— Concordo que uma criança tão pequena quanto Dan precise da mãe — disse ele, assim que recuperou o controle. — Contudo, seu filho é um Jonas ... e, como tal, é apropriado e certo que cresça entre seus familiares, seu próprio povo e no seu próprio país. É meu dever para com Daniel  e para com minha família assegurar que ele seja criado como um Jonas ... e que você, como mãe, seja tratada como a mãe de um Jonas deve ser tratada. Esta é a razão pela qual estou aqui. Para levar ambos para a Sicília, comigo.
Demi  o estudou. Aquela conversa de "dever" era um mundo à parte, que ela bem conhecia. Tal palavra pertencia a uma época feudal, entretanto. De algum modo, aquilo repercutia em seu interior.
                                                                 
                                                           Demi On 


— Você quer me levar e a Dan para a Sicília... para viver lá? — perguntou Demi , incrédula.

O "sim" dele foi sucinto, com uma leve inclinação da cabeça.

— Mas você não tem nenhuma prova de que Daniel é... - O olhar que ele lhe deu a fez calar-se.

— A evidência da ascendência da criança é bastante óbvia para nós dois — disse Joe. — Você viu isso por si mesma. — Ele pausou e olhou para o carrinho de bebê antes de voltar a encará-la. —A criança poderia ser minha. Tem as feições dos Jonas  muito claramente.

Dele! Por que aquela declaração atingiu o coração de Demi  tão completamente?

— Ele não se parece nada com Nicholas — foi tudo que ela conseguiu dizer.

— Não — Joe concordou. — Nicholas saiu à mãe, razão pela qual nosso pai o amava tanto. Ele era obcecado por ela, e essa obsessão matou nossa própria mãe e destruiu nossa infância, privando-nos do amor de nosso pai e da presença de nossa mãe. Isso não acontecerá com seu filho. Na Sicília, ele terá você, que é a mãe, o amor e a proteção dos tios, e a companhia do primos. Será um Jonas.
Ele fazia tudo aquilo parecer tão simples e tão... tão certo! Mas Demi  não sabia nada sobre Joe Jonas e sua família, exceto que eles queriam Daniel .

Como podia confiar nele... um estranho?

Como se Joe sentisse sua ansiedade, perguntou:

— Você ama seu filho, não ama?

— Claro que amo.

— Então, certamente vai querer o melhor para ele.

— Sim.

— Há de concordar, eu acho, que ele terá uma vida muito melhor crescendo na Sicília, como um Jonas , do que teria aqui?

— Com uma mãe que trabalha como faxineira, você quer dizer? —Demi  desafiou-o.

— Não sou eu quem faz as regras dos economistas, que dizem que uma criança financeiramente em
desvantagem sofrerá uma vida dura. Ademais, não é só uma questão de dinheiro... embora isso seja importante. Você está sozinha no mundo... não tem mais contato com seu meio-irmão, e é toda a família que Daniel  possui. Não é saudável para uma criança ter somente a mãe. Na Sicília, Dan  terá uma família inteira. Se você o ama tanto como diz, então deverá querer ir para a Sicília. O que, afinal de contas, a prende aqui?
Se a última pergunta tivesse sido brutal, era também verdadeira, Demi  admitiu. Não havia nada que a fizesse permanecer ali, exceto, é claro, não querer ir para um país estrangeiro com um homem que não conhecia. Ninguém faz isso quando tem um bebê amado de seis meses para proteger. Mas na Sicília não haveria Liam para temer. Nenhum medo de encontrar o meio-irmão debruçado sobre o berço de Daniel com aquele olhar fixo no rosto, como ela o vira em uma de suas visitas logo após o nascimento de Dan .

Alguma coisa, Demi  não sabia o que, exceto por instinto, dizia que nas mãos de Joseph Jonas  seu precioso filho estaria seguro, e que aquelas mãos o protegeriam contra qualquer perigo.

E quanto a ela? E quanto a indesejável reação perigosa que sentia por ele de mulher para homem? Demi  lutou contra o pânico. Era em Dan que tinha de pensar, não em si mesma. Nas necessidades de seu filho, não nas suas. Joe Jonas estava certo em dizer que Dan teria uma vida muito melhor na Sicília, como um Jonas , do que jamais poderia ter em Londres, sozinho com ela. Adicionando a ameaça em potencial de Liam a isso, havia somente uma decisão a tomar.

Demi  lembrou-se que, naquela mesma manhã, rira de si mesma por desejar o impossível... uma varinha mágica para transportá-la para algum lugar onde ela e Dan  poderiam estar salvos.

O impossível tinha agora acontecido e ela deveria aproveitar a oportunidade pelo bem do filho. Por Dan. Nada era mais importante para ela do que seu bebê.

Uma estranha tontura a deixou aérea, como se quase pudesse flutuar sobre a calçada. Levou alguns segundos para reconhecer que a sensação era de puro alívio.

As pessoas pensariam que estava louca, indo embora com um homem que não conhecia, confiando seu filho a ele. Se ela confidenciasse a Kate e Tom, que tinham sido tão bons, arranjando-lhe trabalho de pesquisa entre os amigos enquanto estava grávida, eles fariam perguntas e a alertariam para ter cuidado. Kate a faria recordar da oferta de Liam e a olharia com reprovação. Kate  nunca entendera por que ela não aceitara a oferta de Liam de um lar. E tinha concordado com ele sobre os benefícios de uma adoção para Daniel .

— O que acontece se eu recusar? — perguntou Demi .

Joe  estava esperando aquela pergunta.

— Se você recusar, então reivindicarei meus direitos como parente de sangue de Dan , através da justiça.

— Você está me pedindo para aceitar algo muito pouco confiável — declarou ela. — Não tenho razão para confiar na sua família, e todos os motivos para desconfiar.

— Nick  nunca foi um verdadeiro Jonas . Pelo seu comportamento, desonrou a si mesmo, nosso nome e você. É meu dever tentar consertar as coisas. Tem minha palavra que não sofrerá nenhum mal enquanto estiver sob minha guarda.

Ele estava oferecendo-lhe algo que Demi já sabia sobre respeito e segurança. Que opção tinha a não ser aceitá-las quando eram oferecidas?
Ela respirou fundo, então perguntou, tão calma quanto podia:

— Quando teríamos de partir?

Ela havia se rendido muito mais facilmente do que Joe esperava.

Qual era o motivo para que desconfiasse dela?


                        ---------------------------------------------------


Oi Flores do meu jardim , Tudo bem ???
Então , boas noticias ESTOU DE FÉRIAS , ou seja tenho algumas coisinhas pra adiantar aqui
Tenho mini fic pra postar e uma maratona de caps Hot dessa fic pra postar
Mais e ai me digam o que vocês estão achando fic ok ?
 5 Comentários para o próximo

RESPOSTA DOS COMENTÁRIOS


Cris Lovato  : Obrigado , Eu tbm tenho muita pena dela , mais isso vai passar 


Flávia  :  Oi minha rainha dos Hots , Obrigado *-* , ele tentou , mais sera que ela vai mesmo querer ? , Postado , Bjinhos 


Lala  : Bom mesmo dona Lais kkk , Brigadinho *-* , Já mandei , depois te mando outro cap 


iza :  Bem vinda o/ , Obrigado , espero mesmo que você esteja gostando , Todo mundo com dó da Demi , tadinha kkk , vamos ver né , Beijos *-* , Postado 


Mirela Barbie Bass : Obrigado , Beijo 


Sammy' : Oii , Postado , Normal , eu tbm terminei minhas provas essa semana e graças a deus estou de férias , Claro que sim , Beijo *-* , e posta logo a senhora tbm Dona Samara  kkk


                                         ==============================


Divulgação : Shut Up And Love Me


6 comentários:

  1. POSTA LOOOOOGO'
    / Priimeira - joga o cabelo pro lado -
    O capitulo ta fodastico.
    brigado por divulgar meu blog

    ResponderExcluir
  2. Amei o capítulo! *--*
    Posta logo e mini-fic e essa maratona 66'
    Beijos*

    ResponderExcluir
  3. quando der eu leio.. to evitando d ficar abrindo as coisas aki.. to amandoooooooooooo essa fic

    ResponderExcluir
  4. POSTA POSTA POSTA LOGOOO !
    Eu to amando muito a fic ela ta muito perfeita !!
    Ebaa maratona \o/ estou morrendo de ansiedade por ela !
    O capitulo esta perfeito.Posta mais logo!
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Ahhhh ! Perfeitooo .... Muito bom

    estou amando sua fic !
    Posta logo!

    Ah ! Vc poderia divulgar o meu blog ?

    Www.jemilovely.blogspot.com.br

    ResponderExcluir